Maioria das assembleias do Bradesco aprova acordo de teletrabalho

Terminam nesta segunda-feira (14) as assembleias para avaliar o acordo sobre a regulamentação do teletrabalho negociado com o Bradesco. As assembleias começaram na sexta-feira (11) e cerca de 90% dos sindicatos já aprovaram a proposta. O Comando Nacional dos Bancários orienta a aprovação do acordo, que será válido por dois anos.

O teletrabalho foi discutido na Campanha Nacional, mas a proposta não foi aprovada na negociação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Não havia uma posição unificada das instituições bancárias em relação ao que estava sendo proposto pelo movimento sindical. Após a aprovação da CCT, o Bradesco concordou com as propostas dos bancários.

O Comando Nacional defendia pontos prioritários sobre teletrabalho: ajuda de custo para quem trabalhasse em casa; controle da jornada de trabalho; fornecimento pelo banco de equipamentos necessários para o teletrabalho; móveis adequados às normas ergométricas e de saúde, curso pra quem aderir ao teletrabalho; acompanhamento especial no periódico; canal de apoio, além de outros pontos.

A proposta negociada com o Bradesco prevê, este ano, ajuda de custo de R$ de R$ 1.080,00 para cobrir gastos adicionais com o teletrabalho (internet, luz etc). Para 2021, a ajuda será de R$ 960. O banco também se comprometeu a controlar a jornada de trabalho por meio de programa de computador para o registro dos horários de trabalho e/ou por regime de exceção. O banco irá respeitar os intervalos para refeição e os períodos de descanso.

Com informações Contraf-CUT

 



Compartilhe!