Fenae alerta para possibilidade de filas e contágio na Caixa

Agências vão abrir neste sábado (30)

 

A direção da Caixa Econômica Federal determinou a abertura de 2.213 agências neste sábado (30), das 8h às 12h. O quantitativo representa metade das unidades do banco. Com a mobilização e o empenho de aproximadamente 20 mil bancários, as agências funcionarão para atender aos beneficiários do auxílio emergencial de R$ 600 que quiserem sacar a segunda parcela do benefício.

Com o pagamento do auxílio mantido centralizado no banco e considerando o atual cenário da covid-19 no país, a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae) alerta para a possibilidade de retorno de aglomerações e filas nas agências. Outra preocupação da Fenae é com a exposição da população e dos bancários e o consequente risco de contaminação ao coronavírus.

"Temos orgulho de contribuir de forma efetiva contra a crise. Os empregados da Caixa estão se superando. Já atendemos mais de um quarto da população brasileira e queremos atender a muito mais”, destaca o presidente da Fenae, Sérgio Takemoto. “No entanto, questionamos a necessidade de as agências continuarem abrindo aos sábados nesta fase em que os dias úteis estão atendendo a demanda”, acrescenta o dirigente, que vem atuando junto à Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) em uma série de ações para facilitar o pagamento do auxílio emergencial e proteger a população e os bancários do risco de contaminação.

"Desde o início da concessão do auxílio, reivindicamos a descentralização do pagamento para outros bancos”, ressalta Sérgio Takemoto. “São mais 101 milhões de cadastramentos — o que corresponde à metade da população brasileira — e cerca de 60 milhões de beneficiários. É preciso envolver tanto os bancos públicos como os bancos privados e outras instituições. Mas, infelizmente, nem a Caixa nem o governo atenderam a esta reivindicação", afirma.

Uma das principais cobranças da Fenae e de outras entidades representativas dos bancários ao Executivo federal é a descentralização do pagamento do auxílio. Às vésperas da segunda etapa para o saque do benefício, o governo ainda não tem definição sobre o assunto. No último dia 24, o governo federal voltou a divulgar que os Correios seriam uma opção para ajudar no cadastramento do benefício. Mas, o anúncio não foi confirmado e o pagamento continua sob a responsabilidade única da Caixa.

Além de não descentralizar o pagamento do auxílio emergencial, o presidente da Fenae destaca que a direção da Caixa, até este momento, não fez uma ampla e efetiva campanha de informação à sociedade. “Que esclareça, de forma clara a abrangente, os procedimentos para o cadastro e a concessão do benefício”, reforça Takemoto. “É por isso que as pessoas ainda acabam recorrendo às agências para o cadastramento ao auxílio, por exemplo (que só pode ser feito pela internet ou por aplicativo de celular), ou para situações que poderiam ser resolvidas por telefone", acrescenta o presidente da Fenae.

Limite

De acordo com a direção da Caixa, o auxílio emergencial foi pago a mais de 56 milhões de beneficiários. Conforme observa o presidente da Fenae, além do trabalho em diferentes sábados, os empregados da Caixa também estão, há semanas, começando o atendimento à população duas horas mais cedo (às 8h), todos os dias.

"Os empregados estão no limite físico e mental porque, desde o início, somente a Caixa vem fazendo o pagamento do auxílio”, lembra. “Isso demonstra a grandeza do trabalho essencial que vem sempre prestado pelos empregados do banco", afirma Takemoto.

Diante deste contexto, a Fenae e o movimento sindical têm cobrado o encerramento das aberturas extraordinárias das agências, aos sábados. Para a federação, a medida não é mais necessária e coloca em risco de contaminação os bancários e a população. "Não faz sentido exigir ainda mais dos trabalhadores da Caixa, que já têm se destacado no trabalho constante de atendimento à população", defende Sérgio Takemoto.

A representante dos empregados no Conselho de Administração do banco, Rita Serrano, também está preocupada com a situação. Ela observa que os trabalhadores estão prestando atendimento aos sábados praticamente desde o início da pandemia. "Há uma sobrecarga de trabalho para os colegas que estão na linha de frente (da assistência à população). A direção do banco precisa tomar medidas no sentido de diminuir esta sobrecarga de trabalho", destaca Serrano.

Neste sábado

De acordo com o calendário divulgado pela Caixa, estarão autorizados a fazer o saque do auxílio emergencial, neste sábado (30), os trabalhadores informais, contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Microempreendedores Individuais (MEIs) nascidos em janeiro como também aqueles que receberam a primeira parcela do auxílio até o dia 30 de abril. Será possível, ainda, fazer transferência do benefício para contas da Caixa ou de outros bancos. (Veja mais abaixo as agências que estarão abertas)

Como sacar

Para sacar valores do auxílio emergencial será preciso gerar o código de saque no aplicativo Caixa TEM e se dirigir a uma agência da Caixa ou a uma casa lotérica. Também é possível fazer transferência para outra conta.

Operações eletrônicas

Vale lembrar que por meio do aplicativo Caixa TEM o beneficiário pode pagar contas e fazer compras com o cartão de débito virtual. Desta forma, é possível evitar filas e aglomerações nas agências. 

Calendário de Saque

  • Nascidos em janeiro: 30 de maio 
  • Nascidos em fevereiro: 1º de junho 
  • Nascidos em março: 2 de junho 
  • Nascidos em abril: 3 de junho
  • Nascidos em maio: 4 de junho
  • Nascidos em junho: 5 de junho
  • Nascidos em julho: 6 de junho
  • Nascidos em agosto: 8 de junho
  • Nascidos em setembro: 9 de junho
  • Nascidos em outubro: 10 de junho
  • Nascidos em novembro: 12 de junho
  • Nascidos em dezembro: 13 de junho


Confira por estado as agências que ficarão abertas

Acre
Alagoas
Amapá
Amazonas
Bahia
Ceará
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Maranhão
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Pará
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Sul
Rondônia
Roraima
Santa Catarina
São Paulo
Sergipe
Tocantins

Com informações Fenae


Compartilhe!