Diretores e conselheiros eleitos na FUNCEF tomam posse em Brasília

Imagem: Comunicação Sindicato dos Bancários de Ipatinga

Os diretores e conselheiros eleitos no pleito 2022 foram empossados pelo Conselho Deliberativo da FUNCEF na quarta-feira (1º/6), na sede da Fundação, em Brasília.

Na abertura da cerimônia, acompanhada por convidados de diversas entidades representativas, o presidente da FUNCEF, Gilson Santana, ressaltou os avanços introduzidos no processo de transição.

Os diretores que concluíram os mandatos fizeram um balanço de sua gestão em vídeo já publicado nos canais de comunicação da Fundação. Já os novos eleitos participaram de uma reunião de integração, evento inédito, em que receberam uma visão geral detalhada de todas as áreas da FUNCEF.  

“Tenho certeza de que deixaremos como legado uma Fundação melhor ano após ano. Conto com o fiel compromisso dos que agora ingressam para que concretizemos o propósito que inspirou a CAIXA a criar a FUNCEF em 1977”, disse Santana.

Ele ainda ressaltou que a Fundação é uma só e tem um único objetivo, expresso na sua missão, que é “gerir planos de benefícios de forma sustentável, eficiente e justa, contribuindo para a qualidade de vida dos participantes e assistidos”.

Olhar convergente

O presidente do Conselho Deliberativo, André Nunes, que foi reconduzido ao cargo para novo mandato, destacou sua percepção de convergência nos olhares dos dirigentes indicados e eleitos sobre a necessidade de esforço e dedicação para a melhoria contínua.

“A representatividade nesta cerimônia mostra a relevância e a importância que os participantes dão à FUNCEF”, afirmou ele.

Nunes citou alguns dos principais reforços de governança obtidos mediante consenso nos últimos anos. Entre eles estão a criação de programa de integridadecanal de denúncia da Ouvidoria e de Comitê de Auditoria Independente.

A Fundação também atualizou o seu Código de Conduta e Ética, implementou uma política de acordos judiciais, zerou apontamentos de auditoria da patrocinadora, aprovou os planos de desinvestimento imobiliário e de investimentos no exterior e participou da ampla revisão do plano estratégico 2021-2023.

“Essa construção tem sido feita com trabalho em equipe e paciência”, observou Nunes. “São Melhorias de compliance (conformidade) e governança que ficarão como legado, beneficiando e protegendo a Fundação”, completou.

Uma FUNCEF forte

O novo diretor de Benefícios, Jair Ferreira, destacou o processo eleitoral. “A conquista do direito de escolher os diretores pelo voto deve ser valorizada. A presença de eleitos e indicados (nos órgãos colegiados) é muito importante”.

Ferreira elogiou a forma como os dirigentes eleitos foram recepcionados, na reunião de integração, e o trabalho do corpo técnico. Para ele, um grande desafio da FUNCEF é auxiliar o empregado CAIXA planejar o seu futuro desde o momento em que entra no banco e não apenas quando for a hora de calcular o seu benefício.

“Vamos trabalhar juntamente com participantes e entidades para que sejamos protagonistas na gestão dos recursos”, disse.

Rogério Vida assumiu a Diretoria de Administração e Controladoria (Diaco), resultante da fusão das diretorias de Administração e Controladoria e Planejamento.

Embora não tenha participado da cerimônia por questões de saúde, Vida mandou uma mensagem de áudio. “Nossa proposta é uma FUNCEF forte, o que nos permitirá atender aos anseios dos nossos participantes.”

Urgência nas demandas

Na mesma linha, os novos conselheiros se comprometeram a atender demandas dos participantes, em especial, trabalhar pela redução dos equacionamentos vigentes no menor tempo possível.

“A única coisa que todos os participantes me pediram foi buscar uma melhoria na rentabilidade da Fundação a fim de assegurar a sua perenidade”, afirmou a conselheira deliberativa Ana Fátima de Brito.

Segundo o diretor do Sindicato dos Bancários de Ipatinga, empossado como conselheiro deliberativo, Selim Antônio Oliveira, a posse dos novos conselheiros foi a concretização do retorno dos candidatos que representam as entidades da CAIXA. “Visitamos grande parte das agências e setores da CAIXA e temos a incumbência de levar os anseios dos participantes para nos nortear nas decisões da FUNCEF.

Selim ainda acrescentou que será um mandato regido por transparência e participativo. “Queremos ser o melhor gestor de fundos de previdência fechado, defendendo a FUNCEF dos ataques financeiros do mercado.”

A expectativa de todos, como observou o conselheiro fiscal Sâmio Cássio, é de muito trabalho à frente. “Espero que possamos contribuir na escolha dos melhores investimentos e agir com urgência na questão da redução dos equacionamentos e na incorporação do REB ao Novo Plano”.

Fonte: FUNCEF com Sindicaro dos Bancários de Ipatinga


Compartilhe!