Bolsonaro sabota medidas contra a covid-19, diz Human Rights Watch

Relatório global 2021 da Human Rights Watch, divulgado nesta quarta-feira (13), acusa o governo Jair Bolsonaro de sabotar medidas de saúde pública para combater a covid-19. A acusação é feita no capítulo que analisa os principais eventos de 2020. Segundo o relatório que analisa a situação de direitos humanos em mais de 100 países, o Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso e governadores defenderam políticas para proteger os brasileiros da doença, em resistência à atuação de Bolsonaro contra a covid-19.

“O presidente Bolsonaro minimizou a covid-19, a qual chamou de  “gripezinha”; recusou-se a adotar medidas para proteger a si mesmo e as pessoas ao seu redor; disseminou informações equivocadas; e tentou impedir os governos estaduais de imporem medidas de distanciamento social”, diz a entidade.

“O governo Bolsonaro tem enfraquecido a fiscalização ambiental, na prática dando sinal verde às redes criminosas envolvidas no desmatamento ilegal na Amazônia e que usam a intimidação e a violência contra os defensores da floresta”, afirma também o relatório.

A Human Rights Watch lembra ainda que Bolsonaro “acusou, sem qualquer prova, indígenas e organizações não governamentais (ONGs) de serem responsáveis pela destruição da floresta. Ele também fez ataques a jornalistas.”

O relatório destaca que, em 2019, a polícia matou 6.357 pessoas, uma das maiores taxas de mortes pela polícia no mundo. “Quase 80 por cento das vítimas eram negras. As mortes causadas por policiais aumentaram 6 por cento no primeiro semestre de 2020.”

“O relatório da Human Rights Watch aponta os absurdos do governo Bolsonaro no último ano. E concluiu que ele tentou SABOTAR o combate à covid. Não resta dúvidas que temos um GENOCIDA na presidência”, afirmou pelas redes sociais o coordenador do MTST e da Frente Povo Sem Medo, Guilherme Boulos.

Trump, “um desastre”

Os quatro anos de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos também foram objeto de crítica da Human Rights Watch no relatório mundial. Trump é visto como “um desastre” para os Direitos Humanos. Ela manifesta esperança numa mudança de paradigma com o Presidente eleito Joe Biden, que toma posse em 20 de janeiro.

No seu relatório anual, no capítulo intitulado “O Desafio de Biden: Resgatar o Papel dos Estados Unidos para os Direitos Humanos” e quase sempre em torno do papel norte-americano, a HRW sublinha que Trump foi um presidente “frequentemente hostil e indiferente” em relação aos Direitos Humanos.

Confira o relatório da Human Rights Watch

Com informações Rede Brasil Atual


Compartilhe!