Bancos aceitam debater saúde do trabalhador


Em reunião entre o Coletivo Nacional de Saúde, Comando Nacional e FENABAN, os bancos se comprometeram a discutir sobre o adoecimento da categoria. O movimento sindical avaliou de forma positiva a disposição dos bancos em debater os principais pontos de adoecimento da categoria. O compromisso foi firmado na mesa temática de Saúde do trabalhador, realizada na tarde de terça-feira (9), em São Paulo.

A reunião teve início com a explanação sobre as más condições de trabalho vividas pela categoria bancária, que demonstram claramente a urgente necessidade de ações preventivas.

Entendemos que são temas complexos e que tenhamos pontos de vistas diferentes, mas precisamos dar efetividade a essas discussões pois são questões urgentes. A categoria está adoecida e sofre com as cobranças excessivas, metas abusivas e assédio moral. É necessário um olhar mais humano sobre o sofrimento psicológico que essa gestão do assédio e da produtividade extrema tem causado ao bancário.

“A questão é grave e temos vários dados que comprovam o alto nível de transtornos mentais, bancários estão trabalhando a base de medicamentos, tudo isso em decorrência da pressão por resultados”, afirmou Mauro Salles, secretário de Saúde da Contraf-CUT.

Foi solicitado à FENABAN, acesso aos dados de afastamento, para podermos pensar em medidas preventivas em conjunto com os bancos, precisamos discutir a organização do trabalho, a forma de gestão. O movimento sindical também quer discutir sobre as condições de trabalho em plataformas digitais.

Os bancos reconheceram a importância da mesa temática de saúde na construção de avanços para a categoria e se colocaram à disposição para avançarmos no tema. Aguardamos com otimismo que haja de fato efetividade dessa mesa, e o reconhecimento por parte dos bancos, que é importante e urgente a solução para as causas do adoecimento e as políticas de prevenção.

A próxima reunião ficou agendada para 22 de maio.

 



Compartilhe!